Dicionário Enciclopédico de Psicanálise da IPA

Retornar ao sumário

inconsciente), econômico (superestimulação sensorial, realidade e princípio do prazer), genético (dependente do desenvolvimento das funções egóicas) e estrutural (conflitos entre ego, superego e id). Ademais, o conflito Edípico se estabelece dentro da teoria dual dos instintos/pulsões (instinto sexual/instinto de auto-conservação, libido do ego/libido do objeto, instinto de vida/instinto de morte). Os teóricos que seguem a teoria das relações de objeto formularam conceitos que expandiram o cenário onde esses conflitos se desenrolam, uma vez que se voltaram para o caráter (internalizado) das relações do self e de objeto. A possibilidade do conflito estar acessível aos pensamentos conscientes, e assim poder, potencialmente, ser processado de forma realística ou ser recalcado, depende de fatores como, o poder das forças instintuais [pulsão] envolvidas, das capacidades mentais do indivíduo para o enfrentamento e das condições do ambiente. Os conflitos (inconscientes) podem ser conceitualizados de acordo com os seguintes binários, a medida que extrapolamos e expandimos o que nos dizem as publicações e os dicionários Norte Americanos, Europeus e Latino Americanos contemporâneos (Akhtar’s 2009; Auchincloss e Samberg 2012; Laplanche e Pontalis 1973; Skelton 2006; Borensztejn 2014): 1. Conflito Externo vs. Conflito Interno/Intrapsíquico: o primeiro se refere aos conflitos entre o indivíduo e o seu meio, enquanto que o último se refere àqueles dentro da sua própria psique; 2. Conflitos Externalizados vs. Conflitos Internalizados: os primeiros são relativos aos conflitos internos que foram transpostos à realidade externa, e os últimos aos problemas psíquicos causados pela assimilação das restrições do ambiente em oposição às nossas pulsões e desejos. 3. Conflitos do Desenvolvimento vs. Conflitos Anacrônicos: os primeiros se referem aos transformadores e normativos conflitos do desenvolvimento, específicos de cada etapa, causados pelo desafio dos pais aos desejos da criança ou pelos próprios desejos contraditórios desta última (Nagera, 1996), e os conflitos anacrônicos não são especificados pela idade e podem ser a base para psicopatologias durante a vida adulta. Este binário é descrito de forma similar por Laplanche e Pontalis (1973), como conflitos edípicos vs. conflitos defensivos; 4. Conflitos Intersistêmicos vs. Intrasistêmicos: os primeiros se referem à tensão entre id e ego ou entre ego e superego (Freud, 1923, 1926); os últimos (Hartman, 1939; Freud, A. 1965; Laplanche, 1973) àqueles entre diferentes tendências instintuais (amor- agressividade) ou diferentes atributos ou funções do ego (atividade-passividade) ou diferentes ordens do superego (modéstia-êxito); 5. Conflito Estrutural vs. Conflito das Relações de Objeto: o primeiro se refere à uma tensão gerada pela divergência entre as três principais estruturas psíquicas, ou seja, id, ego e

16

Made with FlippingBook - Online catalogs